ee

ee

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Portugal vence mais oito prémios no Creativity Awards com a Omdesign

A agência portuguesa Omdesign é, uma vez mais, reconhecida nos Estados Unidos da América, agora na 46.ª edição do Creativity International Design Awards, em “Print & Packaging”, com oito prémios - um “ouro”, seis “prata” e um “bronze” -, que a colocam entre as melhores de design neste prestigiado concurso internacional.

Dos 40 países em competição, o júri elegeu oito projetos nacionais assinados pela Omdesign, que traz para Portugal um “ouro”, atribuído ao packaging de autopromoção “Omdesign 2015”. Os trabalhos “Azeite Quinta de Ventozelo”, rebranding Blandy’s, “Edição especial João Nicolau de Almeida (Ramos Pinto)”, “Loja Sogrape Vinhos (Aeroporto de Lisboa)”, “Packaging premium Justino’s” e “Super Bock Casa da Cerveja” receberam “prata” e a identidade e packaging “Guaraná Brasil” (Unicer) mereceu “bronze”.


Com estes prémios, a agência de Leça da Palmeira conta já com 86 distinções conquistadas em 2016 nos mais conceituados concursos, nacionais e internacionais, de design, packaging e publicidade.



sábado, 4 de julho de 2015

Arquitectura de porta aberta no Porto, Matosinhos e V.N. de Gaia

Casas privadas, edifícios públicos, infra-estruturas de engenharia, edifícios históricos, obras famosas e outras desconhecidas vão estar de portas abertas para visitas livres ou comentadas durante o fim-de-semana de 4 e 5 de Julho.

É a primeira edição da Open House no Porto, que engloba também Matosinhos e Vila Nova de Gaia.
Este evento internacional, que celebra a arquitectura e a sua relação com a sociedade, começou em 1992, em Londres, e hoje já se realiza em 23 cidades (incluindo Lisboa, desde há três anos). Pedro Bandeira, o arquitecto convidado para comissariar esta edição, explica à SÁBADO que critérios seguiu para escolher os 42 edifícios deste primeiro Porto Open House.

Se a Casa da Música, o farol da Boa Nova, a Casa de Chá da Boa Nova ou o Teatro Nacional de S. João são bem conhecidos do público, outros espaços não têm a mesma projecção mediática. "Interessa-nos chegar a um público abrangente", explica. Por isso criou uma grande diversidade de propostas, "tanto do ponto de vista tipológico como programático". O arquitecto focou-se em duas vertentes específicas: as infra-estruturas, "que não são propriamente objectos arquitectónicos", e a reabilitação, tendo em atenção o centro histórico do Porto, mas não só.

A Refinaria de Matosinhos, inaugurada em 1970, é um bom exemplo de algo que não é arquitectura mas que tinha lugar nesta selecção. Situada em frente à praia, em Leça da Palmeira, é um complexo de estruturas que exerce "um certo fascínio" - "passo ali desde criança, e principalmente à noite, por causa das luzes, sempre me fez lembrar uma pequena Manhattan. Parece uma cidade futurista que podia servir para cenário de um filme de ficção científica. Nesse sentido evoca um imaginário arquitectónico muito forte".

Além disso, está numa zona utilizada para lazer. "As pessoas vão ali à praia, fazer piqueniques, correr, e deparam-se com aquela infra-estrutura muito grande, que às vezes emana um cheiro insuportável. Não a podemos ignorar porque faz parte do nosso quotidiano, e porque ali se produz combustível."

Reabilitações
O arquitecto quer que a discussão esteja presente em todos as paragens do roteiro, com especial destaque para os edifícios reabilitados.

"Fomos buscar diferentes exemplos de reabilitação e remodelação para tentar mostrar como se trabalha hoje com a cidade herdada, a cidade histórica." Assim, mesmo quando abordamos edifícios históricos "o foco está sempre na contemporaneidade".

E neste ponto Pedro Bandeira não tenta fugir a polémicas. Um dos prédios escolhidos é o 310 da rua do Breyner, na baixa do Porto. Nesta recuperação, os arquitectos César Machado Moreira e Cláudia Dias apenas deixaram de pé o alçado do edifício pré-existente e trabalharam-no de uma forma muito cenográfica. Tudo o que estava dentro foi destruído para se erguer um espaço novo, com uma linguagem muito contemporânea, "o que entra em choque com o sentido da pré-existência", diz Pedro Bandeira.

Nas três casas da Rua dos Caldeireiros, do arquitecto Paulo Moreira (que vai orientar as visitas de domingo entre as 15h e as 19h), o tipo de reabilitação é diferente, possui até "uma certa ironia". O arquitecto quis mostrar como são as infra-estruturas, ou seja, expor coisas que tradicionalmente não são expostas.

Há pormenores "que vieram alterar o modo como se olha para estes edifícios. O que me interessa é mostrar diferentes tipos de intervenção, que também reflictam diferentes investimentos do ponto de vista orçamental. Quero que os visitantes percebam que a dignidade de um edifício pode estar num pormenor, numa pequena intervenção, e que não é preciso muito mais".

Vários edifícios e estruturas que o arquitecto queria ter incluído nesta lista acabaram de fora, como a torre da serra do Pilar, da PT, "que tem uma vista maravilhosa para o Porto, mas que neste momento está em obras", ou as piscinas do complexo do Foco, que por razões de segurança não puderam entrar, assim como os túneis que vão de Arca d'Água à praça dos Leões. Pedro Bandeira espera que estas estruturas sejam incluídas em próximas edições Open House.


Farol da Boa Nova de Leça da Palmeira
Construído em 1927, faz parte de um complexo de edifícios que serviu para acolher a escola de faroleiros. É o segundo maior farol de Portugal (46 m) e foi o primeiro no Norte do País a ter uma lanterna eléctrica instalada. Para subir até ao varandim e usufruir das vistas há um elevador, mas também pode subir os 225 degraus. As visitas estão limitadas a 30 minutos e podem realizar-se sábado e domingo entre as 14h e as 17h. 

in Sábado

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

MOBILIÁRIO PORTUGUÊS DECORA “CINQUENTA SOMBRAS DE GREY”

Universal Studios
-
Mais de três dezenas de peças de mobiliário português decoram em Hollywood o cenário cosmopolita do apartamento de Christian Grey, o milionário personagem principal do livro “50 sombras de Grey” que chega ao grande ecrã a 13 de fevereiro.
“A produção do filme Fifty Shades of Grey procurou as nossas peças de mobiliário para a decoração dos sets do filme”, revelou à Lusa Dídia Sousa, responsável de comunicação da empresa de design de móveis de Rio Tinto “Boca do Lobo”, convidada pela Universal Pictures pelo seu “design exclusivo, high-end” e “cosmopolita”
Um armário de bar, uma mesa, uma vitrina, um armário, uma arca, um aparador e um biombo são algumas das peças da autoria do grupo português “Menina Design” que engloba quatro marcas presentes no filme.
@didiasousapr / Twitter
Dídia Sousa, responsável de comunicação da Menina Design
Dídia Sousa, responsável de comunicação da Menina Design
“A produção do filme não quis alterações. Gostou da identidade das marcas e do design das peças tal como elas são”, sustentou Dídia Sousa, segundo a qual os responsáveis pela decoração dos cenários encontraram no design português a forma de melhor comunicar “o estilo de vida luxuoso do ator principal”.
O grupo conta com quatro marcas – Boca do Lobo, DelightFull, Koket e Brabbu – que têm “o grande sonho” de “elevar o design português à escala mundial”, impulsionando-o através de uma “dinâmica empresarial que permita desenvolver e promover processos de inovação”.
O contacto inicial e a proposta de colaboração foram feitos com a “Boca do Lobo” pelos designers dos cenários do filme que, após apresentação das restantes três marca, quiseram incluir trabalhos seus, num total de 31 peças decorativas.
“O seu design único, as técnicas artesanais que aliadas à nova tecnologia existente, a paixão pelo design e uma equipa forte, unida, que quer sempre ir mais longe e mostrar a qualidade do design que se faz em Portugal” são as características das marcas portuguesas que cativaram Hollywood e que com o filme esperam “abrir novas portas e aumentar horizontes”.
Mas se ficou com curiosidade acerca dos móveis que decoram a sumptuosa penthouse, porque não os espreita com os seus próprios olhos?
A produção do filme lançou uma belíssima visita virtual ao apartamento de Christian Grey. Entrada grátis, por aqui:  Christian Grey’s Apartment.
dr Entertainment Weekly
Jamie Dornan e Dakota Johnson como Christian Grey e Anastasia Steele na "Entertainment Weekly"
Jamie Dornan e Dakota Johnson como Christian Grey e Anastasia Steele na “Entertainment Weekly”
“Cinquenta sombras de Grey” é o primeiro romance de uma trilogia publicada entre 2011 e 2012 da autora britânica E.L.James, de 51 anos.
A trilogia, que se centra na relação e nos jogos sexuais entre Christian Grey, multimilionário de 27 anos, e Anastasia Steele, estudante universitária, atingiu vendas na ordem dos cem milhões de exemplares, segundo contas da editora.
No cinema, os protagonistas do romance são interpretados por Dakota Johnson e Jamie Dornan. O filme só será estreado a13 fevereiro mas os bilhetes foram colocados à venda com dois meses de antecedência.
ZAP / Lusa

sábado, 15 de novembro de 2014

O melhor vinho do mundo é português


Um vinho do Porto de 2011 foi considerado pela Wine Spectator’s o melhor vinho da lista  Wine of the Year for 2014, lê-se no site dedicado a esta bebida.
O vinho foi produzido nas margens do Rio Douro, pela família Symington, um dos maiores produtores da região.
O Dow’s Vintage Port 2011 teve 99 pontos em 100. Uma garrafa custa 82 dólares (cerca de 66 euros) e foram produzidas 5000 unidades.
Existem ainda dois outros vinhos no Top 10 desta lista (ambos da região do Douro): o Prats & Symington Chryseia 2011(em terceiro lugar) e  Quinta do Vale Meão 2011(em quarto).
in SOL

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Portugueses conquistam prémio internacional de Design


A peça "Path of Light DVD Box” conquistou o júri do A' Design Award and Competitions. Peça de Francisco Elias e Nelson Fernandes já está à venda online

É uma peça de design que contém uma curta de animação ou uma curta de animação envolvida por uma peça de design. A criação portuguesa “Path of Light DVD Box” conquistou o júri do A' Design Award and Competitions, uma competição anual que premeia os melhores projectos na área do design a nível mundial.

O prémio máximo do concurso (Platina na categoria “packaging”) foi entregue ao designer Francisco Elias e ao artista Nelson Fernandes, que durante um ano desenvolveram o produto, sem qualquer ajuda financeira.

O mote foi dado por Nelson Fernandes (aka Zina Caramelo), que depois de nove meses a desenvolver a curta de animação “Paths of Light” desafiou Francisco Elias a desenvolver uma caixa para o DVD. “A grande premissa passou por criar uma embalagem que não tivesse somente a função de proteger e transportar, mas que atribuísse principalmente valor estético e comercial à peça”, contou o designer ao P3, numa entrevista concedida por email.

A primeira edição, desenvolvida “sem patrocínios ou apoio de produtoras”, conta com apenas 100 exemplares, disponíveis para venda online (através do email sales@nelson-zina.com), por 39 euros. “Este número relaciona-se ainda assim com a crise ideológica e financeira em que se encontra Portugal: produzir de forma massificada e independente na área das artes e da cultura não é de todo viável actualmente”, justificou Francisco Elias.

Uma curta para celebrar a vida
A curta — que usa técnica de “stop motion” e tem a duração de quatro minutos e 20 segundos — conta com a participação especial do compositor chileno Pablo Rios e da Orquestra Sinfónica de Kiev. Sem “uma interpretação unânime ou consensual”, a criação de Nelson Fernandes pode ser “entendida como um apocalipse invertido, como uma espécie de hino ou triunfo da vida”.

A construção da caixa envolveu um processo mecânico e um manual: “O primeiro processo consiste na impressão e corte a laser para obter seis partes que, com o segundo processo (colagem, secagem e polimento), constituem a peça final.”

A madeira foi o material escolhido por associar várias características que a dupla portuguesa queria ter na caixa: resistência e leveza, complexidade e simplicidade. “É ainda uma fonte de energia, de fogo, de luz — "Paths of Light"”, acrescentou Francisco Elias.

O prémio internacional oferece à peça portuguesa “Path of Light DVD Box” uma “campanha promocional”, a tradução da curta de animação “para mais de 20 línguas” e a participação numa exposição colectiva em Broletto di Como, em Itália.

A visibilidade conseguida com o prémio — que já valeu alguns elogios em blogues e revistas de design internacionais — é sobretudo uma forma de tornar possível o investimento em novos trabalhos. Mas há uma ressalva que a dupla faz questão de fazer: “Este esforço em nada pode ser confundido com empreendedorismo. Este termo é muito usado pelos nossos políticos de forma a delegar as suas incompetências nos demais. Trabalhámos nestes moldes de forma a satisfazer as nossas necessidades, tão simples como a vontade de querer fazer algo novo e inspirador.”

in Público - 28/04/2014

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Peça de designer português em vídeo de Lady Gaga

Uma peça do designer de joias e acessórios português Valentim Quaresma foi escolhida para aparecer no mais recente videoclip da cantora norte-americana Lady Gaga, foi hoje anunciado.
Segundo um comunicado da agência que representa o designer, uma peça de Valentim Quaresma foi escolhida «para integrar um dos quadros de bailarinas na mais recente produção de Lady Gaga, 'G.U.Y' [música que faz parte do álbum 'Artpop']».
A peça escolhida é uma peça de ombros em pele e metal, que faz parte da coleção 'Daydream' [Sonho Acordado], para o inverno de 2013, que o designer apresentou na 40.ª edição ModaLisboa, em março do ano passado.
Lady Gaga atua a 10 de novembro no Meo Arena, em Lisboa, onde apresentará as canções do álbum "ARTPOP", lançado em novembro.
A artista regressa à sala de espetáculos onde em 2010 atuou, na estreia em Portugal, com o álbum "The fame monster".
in TSF - 10.04.2014

sábado, 29 de março de 2014

Aeroporto Sá Carneiro é o melhor da Europa

O Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, é o melhor da Europa segundo um inquérito levado a cabo pela DECO por forma a avaliar a satisfação dos passageiros. O mesmo espaço ocupa a quinta posição no 'ranking' internacional, sendo o primeiro europeu a figurar na lista, liderada por quatro aeroportos asiáticos.
 
Entre os 153 aeroportos analisados, o da cidade Invicta ocupa a quinta posição do 'ranking', sendo o melhor classificado dos seis portugueses avaliados: Porto, Lisboa, Funchal, Ponta Delgada, Faro e Porto Santo. 

"Os mais apreciados são aeroportos no continente asiático, com grande volume de tráfego: Singapura, Hong Kong (China), Tóquio (Japão) e Dubai (Emirados Árabes Unidos)", refere o relatório divulgado esta quinta-feira e a ser publicado na edição de Abril da PROTESTE.
 
O aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, surge na quinta posição da tabela, ocupando, no entanto, o primeiro lugar entre os europeus. O da Portela, em Lisboa, por seu lado, figura no 24º lugar, com os inquiridos a mostrar-se satisfeitos "com os ecrãs, os transportes e os lugares nas zonas comuns". O tempo necessário para chegar à porta de embarque, no entanto, é o critério que menos satisfaz.
 
Seguem-se os aeroportos do Funchal, na 54.ª posição, o de Ponta Delgada, em 67.ª, o de Faro, em 70.ª e o de Porto Santo, em 132.ª.
 
Relativamente às 76 companhias aéreas avaliadas pela DECO, a TAP surge em 32.º lugar e a SATA em 44.º, numa lista liderada pela Singapore Airlines, de Singapura, seguida pela Emirates Airlines, dos Emirados Árabes Unidos, e pela Cathay Pacific, da China.
 
No que respeita à TAP, "os inquiridos apreciam, sobretudo o pessoal de bordo, os horários dos voos e o conforto proporcionado pela transportadora", apontando como "principal crítica" o custo dos bilhetes. No caso da SATA, o "pessoal de bordo é o critério que mais satisfaz, mas, pela negativa, destacam-se o custo das passagens e a pontualidade".
 
Para as companhias aéreas para as quais tinha dados suficientes, a PROTESTE calculou a incidência de atrasos à chegada com mais de 15 minutos, sendo a Emirates e a Qatar Airways as mais pontuais, com 14% de atras. Já a TAP e a SATA "registaram 34% de atrasos, ou seja, três em cada 10 voos chega com mais de 15 minutos de atraso".
 
Em termo de tempo de espera pela bagagem, em média, este é de 20 minutos, sendo o aeroporto de Zurique o melhor (14 minutos) e o de Banguecoque o pior (29 minutos).
 
Além de Portugal, o inquérito foi realizado em conjunto com as associações congéneres da DECO do Brasil, de Espanha, de Itália, de França e da Bélgica, tendo sido obtido um total de 9279 respostas, das quais 1797 em território nacional.
 
Foram apenas consideradas as respostas dos consumidores que viajaram de avião nos 12 meses anteriores ao preenchimento do questionário.

in Boas Notícias - 20.03.2014

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

QUATRO MEDALHAS PARA PORTUGAL NOS JOGOS MUNDIAIS 2013

Portugal conta já com quatro subidas ao pódio nos Jogos Mundiais que estão a decorrer em Cali, na Colômbia. A última foi de Alfredo Faria para receber a medalha de prata em K1, na maratona de canoagem.
 
O canoísta português terminou a prova em 44.34,996 minutos, ficando a 20 segundos da medalha de ouro, que foi conquistada pelo húngaro Mate Petrovics.

Antes desta conquista, também o par misto de ginástica acrobática Gonçalo Roque e Leonor Oliveira conseguiu arrecadar a medalha de prata.
 
Na final da modalidade de ginástica acrobática, o par português terminou a competição com 29.660 pontos, ficando muito perto da medalha de ouro conquistada pela Grã-Bretanha (30.090 pontos).

Outras duas medalhas de bronze foram conquistadas por André Lico e Sí­lvia Saiote, em duplo minitrampolim, na madrugada de quinta-feira.

Na prova masculina, o português conseguiu subir ao terceiro lugar do pódio, mesmo depois de ter sofrido uma lesão durante o aquecimento para as qualificações.

Mesmo em dificuldades fí­sicas, o português registou 73.900 pontos, atrás do brasileiro Bruno Martini (75.400) e do russo Mikhail Zalomin (75.200), medalhas de ouro e prata, respetivamente.

Em femininos, Sílvia Saiote totalizou 68.200 pontos, fechando um pódio completado pelo ouro da russa Svetlana Balandina (69.400) e da prata da canadiana Corissa Boychuk (68.600).


A nona edição dos Jogos Mundiais decorre em Cali até domingo e conta com a participação de mais de 4.000 atletas de 120 países, repartidos por 36 modalidades não olí­mpicas.

in Boas Notícias - 02.08.2013

HOTÉIS PORTUGUESES NOS MELHORES DA EUROPA E DO MUNDO

Dois hóteis portugueses estão entre os melhores do mundo. O The Beautique Hotels Figueira e o Conrad Algarve Spa foram nomeados para as finais de dois dos mais prestigiados prémios internacionais, pela excelência da arquitetura e design de interiores.
 
O The Beautique Hotels é o mais recente projeto de design de interiores para hotelaria da madeirense Nini Andrade Silva. A unidade hoteleira encontra-se nomeada para a categoria de Hotéis dos INSIDE Awards, que decorrem no âmbito do World Architecture Festival, em Singapura, de 2 a 4 de Outubro. 

Os INSIDE Awards visam distinguir mundialmente os projetos mais importantes a nível da arquitetura de interiores e baseiam-se numa shortlist apenas com os cinco melhores do mundo.

Este ano, o hotel português, localizado na Praça da Figueira, em Lisboa, é um dos cinco eleitos para integrar a lista de nomeados destes importantes prémios.

O The Beautique Hotels Figueira está ainda nomeado para os European Hotel Design Awards, onde também o Conrad Algarve se encontra presente. O concurso distingue os mais "excecionais projetos de arquitetura e design" desenvolvidos na área da hotelaria, ao longo do último ano, na Europa.

O hotel algarvio, na Quinta do Lago, encontra-se nomeado para as categorias de Café & All Day Dyning e de Spa. Nesta última, divide as honras da nomeação com o hotel boutique da capital, que também figura nas categorias de Restaurante.


Clique AQUI para consultar a lista completa dos nomeados aos INSIDE Awards e AQUI para conhecer os nomeados para os European Hotel Design Awards.

In Boas Notícias - 02.08.2013

terça-feira, 30 de julho de 2013

Lídia Jorge eleita em França uma das «10 grandes vozes da literatura estrangeira»

A escritora Lídia Jorge foi eleita uma das «dez grandes vozes da literatura estrangeira» pela revista francesa Magazine Littéraire, ao lado de Zadie Smith, Mo Yan, Enrique Vila-Matas e Alice Munro, de acordo com a edição de agosto.

A próxima edição da publicação francesa coloca na capa uma seleção de dez escritores estrangeiros (não franceses) e entre eles surge a autora portuguesa, de quem é traçado um perfil biográfico e literário.
"Lídia Jorge invoca, de uma forma polifónica, os múltiplos estratos do século XX português, privilegiando o olhar das mulheres sobre uma sociedade patriarcal, antes de mais frio, depois atormentado", sustenta a publicação, num artigo assinado pela professora universitária Maria Graciete Besse.
A notícia chegou sem avisou e deixou Lídia Jorge surpreendida, satisfeita e ainda com mais vontade de escrever.
Afinal vale a pena, diz Lidia Jorge, que sente como alguns livros podem ser mais bem recebidos lá fora do que em Portugal.
Bem tratada pelos leitores, Lídia Jorge acreita que a distinção da revista francesa pode abrir portas a novos públicos.
A escritora já está a trabalhar no próximo romance, que deve sair no inicio de 2014. Será sobre um testemunho do tempo.
A "Luz e as Sombras" vai ser novo livro sobre a passagem do tempo, uma espécie de balanço das últimas décadas em Portugal.
Lídia Jorge, 67 anos, nascida em Boliqueime, estudou Filologia Românica, deu aulas em Angola e Moçambique e é autora de mais de dezena de romances, entre os quais "O dia dos prodígios" e "O vento assobiando nas gruas", contos, teatro e ensaio.

in TSF - 30.07.2013

domingo, 28 de julho de 2013

Revista britânica distingue Horta Osório como melhor banqueiro do mundo

O prémio anual de melhor banqueiro do mundo da revista financeira britânica Euromoney foi atribuído ao português António Horta Osório, presidente executivo (CEO) do grupo Lloyds em Londres, Inglaterra, foi anunciado na quinta-feira à noite.

De acordo com um comunicado divulgado pela revista na sua página da Internet, Horta Osório foi distinguido “pelos seus esforços, nos últimos dois anos, em fazer com que o banco britânico regressasse aos lucros”.

“Decisões difíceis tomadas em tempos complicados ajudaram a revitalizar as fortunas do grupo banqueiro Lloyds. Agora Horta Osório pode concentrar-se em tentar fazer do maior banco do Reino Unido o melhor”, refere a publicação.

A Euromoney distingue os melhores na área financeira desde 1992. Os prémios distinguem instituições e pessoas que “demonstram liderança, inovação e dinamismo nos mercados em que operam”.

António Horta Osório mostrou-se “honrado” com o prémio.

“[Esta distinção] é testemunho do trabalho árduo das várias equipas para apoiarem a nossa estratégia de transformar o grupo [Lloyds] num banco simples, focado no cliente, de baixo risco retalhista e comercial, que traz benefícios reais aos clientes, colaboradores e accionistas”, afirmou, citado pela Euromoney, ao receber o prémio.

Horta Osório entrou em funções no grupo Lloyds a 01 de Março de 2011. Oito meses depois, o banqueiro meteu baixa durante dois meses, entre 02 de Novembro de 2011 e 09 de Dezembro de 2012.

Na altura, o banqueiro atribuiu os problemas de saúde às dificuldades que sentia desde Setembro em dormir, na sequência dos quais foi internado em Novembro numa clínica especializada.

O banqueiro, de 49 anos, passou pelo Citibank, o Goldman Sachs, o Santander e o Banco de Inglaterra, onde se mantém como administrador não-executivo.

O Lloyds Banking Group, a segunda maior instituição financeira do Reino Unido foi parcialmente nacionalizado em 2008, recebendo do Estado 23,2 mil milhões de euros, e apresentou um lucro de 1.525 milhões de libras (1.769 milhões de euros) no primeiro trimestre deste ano, devido, em parte, ao controlo de custos.

O Lloyds acumulou resultados negativos de 3,9 mil milhões de libras (4,5 mil milhões de euros) nos primeiros nove meses de 2011, em grande parte devido às provisões feitas para indemnizar clientes a quem foram vendidos seguros indevidamente.

Nos três primeiros meses de 2012, o banco liderado por Horta Osório teve um prejuízo de 5 milhões de libras (5,8 milhões de euros).

O resultado bruto obtido nos três primeiros meses de 2013 atingiu os 2.040 milhões de libras (2.366 milhões de euros), contra os 280 milhões de libras (324 milhões de euros) alcançados no primeiro trimestre do ano passado.

As receitas totais atingiram 17.609 milhões de libras (28.174 milhões de euros) nos três primeiros meses deste ano, mais 66% face ao mesmo período de 2012.

De acordo com o banco, o lucro alcançado no período em apreço foi possível graças "à subida dos recursos e à contínua melhoria dos custos".

in Público 12.07.2013

Portugueses desvendam causa da imortalidade em tumores

Uma equipa de cientistas portugueses afirma que a imortalidade das células tumorais está diretamente relacionada com "uma região inexplorada do genoma". A conclusão é de um estudo desenvolvido por investigadores do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto.

A explicação vem, assim, dar resposta a uma questão que era há muito colocada pelos especialistas relativamente à capacidade de as células tumorais de dividirem, de forma ilimitada.
Segundo a investigação portuguesa, "a base genética da imortalidade" deste tipo de células "está numa região inexplorada do genoma (sequência do ADN que congrega toda a informação genética de um organismo). 

Os resultados lançam, assim, o "alerta para a possibilidade de nos estarem a escapar mutações causadoras de doença em regiões ainda inexploradas do genoma", refere a líder da equipa de investigação, Paula Soares, em declarações à agência Lusa.

Segundo a especialista, há uma região do gene Telomerase, nunca antes explorada, onde uma 'enzima chave' no processo de divisão das células tumorais apresenta mutações comuns a diferentes tipos de cancro.

"As alterações no gene da Telomerase são frequentes e estão associadas ao aumento dos níveis desta enzima nos tumores", sublinha. 

A descoberta ganha particular importância no que diz respeito aos "mecanismos que as células tumorais adquirem para não envelhecer, tornando-se imortais", sobretudo porque estes diferem de acordo com os vários tipos de cancro.

Clique AQUI para aceder ao estudo, publicado na prestigiada revista "Nature Communications".

in Boas Notícias - 26.07.2013

sábado, 27 de julho de 2013

Cinco medalhas para Portugal nas Olimpíadas de Matemática

É a melhor participação de sempre. Na 54ª edição das Olimpíadas Internacionais de Matemática, na Colômbia, Portugal conseguiu 111 pontos que equivalem ao 36º lugar, num total de 97 países.


Em declarações à TSF, Luís Merca Fernandes, coordenador das Olimpíadas portuguesas de Matemática, sublinha que o resultado «é o reconhecimento internacional do valor dos nossos alunos».
Uma medalha de ouro, quatro de bronze e uma menção honrosa são os resultados que colocaram Portugal em 36º lugar na classificação por países, num total de 97.
Portugal conseguiu também a melhor pontuação de sempre ao obter 111 pontos, batendo o recorde dos 99 pontos obtidos em 2009.
Miguel Moreira, aluno do 11.º ano na Escola Secundária Rainha D. Amélia, em Lisboa, conquistou uma medalha de ouro.
Quatro elementos da equipa portuguesa - Miguel Santos (Secundária de Alcanena, 12.º ano), Francisco Andrade (Secundária do Padrão da Légua, 10.º ano), Luís Duarte (Secundária de Alcains, 12.º ano) e David Martins (Secundária de Mirandela, 11.º ano) - conquistaram medalhas de bronze.
Nuno Santos foi distinguido com uma menção honrosa, na competição que envolveu 528 participantes.

in TSF - 27/07/2013

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Pedras Salgadas Eco Resort é edifício do ano 2012 para o ArchDaily


Entre os 70 finalistas do prémio “Edifício do Ano 2012” estavam dez projectos assinados por arquitectos portugueses.

Há um projecto português entre os vencedores de edifício do ano para o site ArchDaily, actualmente com mais de 280 mil visitas e 70 milhões de pageviews por mês. Trata-se do Pedras Salgadas Eco Resort, em Vila Pouca de Aguiar, da autoria dos arquitectos Luís Rebelo de Andrade e Diogo Aguiar.

O edifício venceu na categoria "Hóteis e Restaurantes".

Trata-se da primeira parte terminada de um projecto com diversas etapas por concluir, casas em regime hoteleiro que num futuro próximo terão a companhia de edifícios de serviços, uma capela, um casino, etc. "Estas casas foram inauguradas em Setembro e o sucesso tem sido enorme", contou ao P3 Luís Rebelo de Andrade pouco minutos depois de conhecer os resultados.

"A minha grande satisfação, o grande prémio é a taxa de ocupação do espaço", completou, referindo-se ao Pedras Salgadas, que brevemente (Abril/Maio) ganhará um espaço com casas suspensas nas árvores. "Claro que com a crise que vivemos é muito bom vermos o nosso trabalho ser reconhecido. Tentamos provocar experiências através de uma linguagem moderna".

Luís Rebelo de Andrade tinha ainda a concurso no ArchDaily uma moradia particular na Travessa do Patrocínio, em Lisboa, edifício que também está na "shortlist" do Architizer.

Recorde-se que entre os 70 finalistas do prémio “Edifício do Ano 2012” estavam mais nove projectos assinados por arquitectos portugueses e localizados no país: a Plataforma das Artes e Criatividade (Guimarães), a escola Sebastião da Gama (Setúbal), uma clínica dentária de Lisboa, uma casa particular em Lisboa, um edifício de escritórios no Porto, um apartamento em Lisboa e outro no Porto, o Castelo Novo do Fundão e o Pavilhão Multiusos de Lamego. Estes dez projectos foram selecionados entre 3.042 de todo o mundo, divididos por 14 categorias.

Na edição do ano passado, a Capela da Vida em Braga, a MIMA House em Viana do Castelo e a sede da Associação Fraunhofer no Porto foram as construções portuguesas eleitas “Edifício do Ano 2011”.

Também no “Building of the Year 2010” três edifícios portugueses foram eleitos pelo ArchDaily: o edifício da Vodafone no Porto, o bar temporário que representou a Faculdade de Arquitectura portuense na Queima das Fitas e a Closet House, de Matosinhos.  

in p3.publico - 14/02/2013

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Joana Vasconcelos no top das exposições mais visitadas em França

Exposição da artista portuguesa no palácio-museu a sul de Paris, entre Junho e Setembro de 2012, recebeu número recorde de visitantes.



O Palácio de Versalhes registou 1,6 milhões de entradas no Verão do ano passado, no período em que Joana Vasconcelos aí mostrou a sua obra. Com este número, o jornal francês Le Figaro coloca a artista portuguesa no topo das exposições mais visitadas em Paris nos últimos 50 anos.

É um resultado de indiscutível relevo, mas que não deve ser comparado directamente com os 1,2 milhões que visitaram a exposição dedicada ao faraó Tutankamon, no Petit Palais, em 1967, ou as que se seguem no ranking elaborado pelo jornal e que são citadas pela agência Lusa: 1,15 milhões na da Colecção Barnes, no Museu Orsay (1993); 913 mil na de Claude Monet, no Grand Palais (2011); 840 mil na de Salvador Dali, no Centro Pompidou (1979). Exposições que mobilizaram visitas exclusivamente dirigidas aos nomes e às obras em causa, independentemente dos lugares que as mostravam.

A presença das obras de Joana Vasconcelos, primeira mulher e a mais jovem artista convidada a expor arte contemporânea em Versalhes – a mostra decorreu entre 18 de Junho e 30 de Setembro –, pode, no entanto, ser já comparada com os 906 mil visitantes do palácio-museu a sul de Paris aquando da exposição do escultor norte-americano Jeff Koons (2008), ou os 922 mil do japonês Takashi Murakami (2012), seus antecessores nas galerias, câmaras e jardins de Versalhes.

Num artigo publicado esta semana na sua edição online sobre A Loucura das Exposições (La folie des expos), o Figaro compara, de facto, os números registados pela artista portuguesa em Versalhes com as mostras históricas já referidas. E realça que, no espaço de seis anos, as exposições realizadas em Paris mais do que duplicaram. E que o público tem procurado sobretudo mostras monográficas de grandes nomes da arte, como Matisse, Dali ou Edward Hopper – tendo a pintura deste último obrigado mesmo ao prolongamento, por mais uma semana e até este domingo, 3 de Fevereiro, do seu calendário no Grand Palais, onde já registou mais de 700 mil visitantes.

A exposição de Joana Vasconcelos em Versalhes, recorde-se, reuniu 15 obras distribuídas pelos vários espaços interiores e exteriores do palácio, onde a artista portuguesa nascida em Paris, em 1971, instalou peças como as já famosas Marilyn e Coração Independente, Peruca e Mary Poppins.
Joana Vasconcelos vai ser a representante oficial portuguesa na Bienal Internacional de Arte de Veneza 2013, num projecto comissariado por Miguel Amado.

in Público - 02/02/2013

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Produtos portugueses ganham destaque no Japão



Ourivesaria, relojoaria, calçado e moda feminina são algumas das áreas de produção portuguesas que vão estar em destaque, ao longo de 24 horas, no canal televisivo de uma das mais reconhecidas empresas de televendas japonesas.
 
O projeto surgiu no final de 2012 após a Câmara de Comércio e Indústria Franco-Portuguesa (CCIFP) se reunir com a estação Jupiter Shop Channel, de onde resultaram negociações que ascendem aos 500 mil euros.
 
Em declarações à Lusa, Ricardo Simões, diretor executivo do instituição, refere que "os produtos portugueses conquistaram os compradores" e informa que vão ser ainda mostradas imagens das fábricas, lojas e empresas envolvidas no processo.
 
A Jupiter Shop Channel apresenta todas as semanas mais de 700 produtos diferentes e dirige-se essencialmente ao público feminino, que representa cerca de 90 por cento dos níveis de audiência. Está previsto que sejam publicitadas produções portuguesas na área da ourivesaria, relojoaria, marroquinaria, acessórios, sapatos e moda feminina.
 
Para Ricardo Simões as estações televisivas de vendas japonesas são "um canal de distribuição extremamente interessante para produtos e marcas inovadoras e de qualidade". O diretor executivo da CCIFP encontra nesta oportunidade "um abrir de portas para o mercado japonês, onde as televendas não se destinam a produtos de refugo".
 
Para além do destaque dado aos produtos, também as empresas envolvidas no negócio vão ter a oportunidade de dar a conhecer a sua atividade e marca. Está previsto que os produtos sejam emitidos entre o final de Agosto e o início de Setembro.
 
Este projeto contou ainda com o apoio da Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal, da Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado e da Associação Têxtil e Vestuário de Portugal.


in Boas Notícias - 05/02/2013

"App" portuguesa é finalista de prémio internacional



A Niiiws, aplicação gratuita para iPad e iPhone, que agrega as notícias da imprensa portuguesa mais partilhadas nas redes sociais, está entre as 20 nomeadas para os "Mobile Premier Awards", prémios internacionais que são atribuídos no próximo dia 25 em Barcelona, Espanha.
 
A aplicação para smartphones e tablets foi criada pelo português João Martins e, após o seu lançamento, atingiu, em apenas oito horas, o primeiro lugar das "apps" gratuitas na loja da Apple portuguesa.
 
Em declarações à Lusa, o criador da Niiiws falou das expetativas para o concurso. "Expetativas? Para dizer a verdade, nós vamos lá para ganhar", garantiu, sublinhando, porém, que, neste tipo de prova, há "sempre bastante subjetividade".
 
Esta aplicação é "um veículo para os jornais", recolhendo os 'feeds', isto é, os conteúdos públicos dos vários jornais, selecionando as notícias mais partilhadas e apresentando-as depois numa plataforma comum.
 
Segundo João Martins, trata-se de um "serviço de que as pessoas estão a gostar" por facilitar a "procura de notícias". Atualmente, "mais de 35.000 pessoas" utilizam "sistematicamente" a aplicação, que já foi descarregada por "mais de 50.000 portugueses".
 
A Niiiws está disponível em cinco línguas e oito países, sendo eles "Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Irlanda, Brasil, Rússia e Estados Unidos", enumerou o criador, que espera, durante o mês de março, ter já a aplicação no sistema operativo Windows 8.
 
A Niiiws conta também introduzir publicidade interativa em Portugal ainda este mês de forma a angariar receitas, mas, contrariamente ao habitual, este é um "conceito de publicidade útil e interativa para o reconhecimento de grandes marcas", assegurou João Martins. 

Clique AQUI para fazer o download gratuito desta aplicação (para iPad ou iPhone) a partir da App Store e AQUI para conhecer as 20 aplicações finalistas da edição de 2013 dos "Mobile Premier Awards".

in Boas Notícias - 05/02/2013

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Portugal em 19º lugar numa lista de 50 países com maior reputação no Mundo

Portugal está em 19º lugar numa lista de 50 países com maior reputação no Mundo. A conclusão surge no estudo de uma consultora internacional sobre a opinião de 36 mil consumidores dos países do G8.


Na mesma posição alcançada o ano passado, Portugal desceu na pontuação obtida mas continua à frente de países como os Estados Unidos, a China e o Brasil.

Os resultados revelam que a opinião dos portugueses sobre o próprio país é, ainda assim, mais positiva do que a reputação alcançada a nível internacional.

Com impacto direto na economia do país, a reputação atrai investimento estrangeiro, turistas e aumenta as exportações.

No topo da lista o Canadá mantém a liderança, seguido da Austrália e da Suécia.

"Para além de manter a posição de liderança, o Canadá melhorou também a sua pontuação em três pontos. Este incremento não se observa na generalidade  dos países que integram o Top 10 do 'ranking' (avaliação)", aponta Pedro Tavares, CEO da OnStrategy, que representa o Reputation Institute em Portugal.


in SIC - 25/09/2012


terça-feira, 14 de agosto de 2012

Parkinson: Investigadores portugueses descobrem novo mecanismo responsável pela origem de doença

Uma equipa de investigadores de Coimbra descobriu que a principal causa da doença de Parkinson será a disfunção da mitocôndria, responsável pela produção de energia nas células, «contrariando algumas das últimas teses científicas» sobre a patologia.


As mitocôndrias são as chamadas "batérias" das células, ou seja, o que lhes dá energia e alimenta o nosso organismo.

Agora, uma equipa de investigadores portugueses da Universidade de Coimbra descobriu que a disfunção das mitocôndrias é responsável pelo aparecimento da Doença de Parkinson.

O estudo, publicado na revista "Human Molecular Genetics", contraria várias teses científicas.

A Parkinson é uma doença degenerativa do sistema nervoso central. Este estudo demonstra, pela primeira vez, que a deficiência do tráfego entre as células é provocada pla disfunção das mitocôndrias dos doentes.

A próxima etapa passa por estudar e perceber como é que esta disfunção leva à desestabilização do tráfego intracelular.

A investigação foi realizada com base em células de doentes com Parkinson e desenvolvida nos últimos quatro anos.

À agência Lusa, a cientista Sandra Morais Cardoso, que liderou o estudo, sublinha que a descoberta traz novas pistas, mas não é uma cura a curto prazo.


in TSF - 13/08/2012

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Portugueses a caminho de remédio contra cancro do estômago

Uma equipa de investigadores portugueses tomou a dianteira das pesquisas e acredita que pode chegar a um remédio. Os ratinhos já submetidos à vacina ficaram com um estômago mais saudável.

Os testes em ratinhos realizados nos últimos seis anos anos deram bons resultados. Por isso, os investigadores da faculdade de Engenharia da Universidade Católica e da faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa não podiam estar mais satisfeitos no fim de um ciclo de pesquisa em laboratório.

Em declarações à TSF, a professora Cecília Calado diz que os ratos submetidos à vacina ficaram com um estômago mais saudável.

«Mostra uma progressão de anticorpos específicos que neutraliza uma grande diversidade de bactérias. O problema desta bactéria e a causa de não existir uma vacina comercial é que há uma grande variabilidade de estirpes a nível mundial. Portanto, nós propomos uma vacina universal que vacine uma pessoa na Europa, mas que funcione também contra as estirpes americanas, africanas ou asiáticas», revelou.

A helicobactéria PYLORI que se aloja no estômago pode assim ser combatida por esta pílula.

«Prevenir e tratar. O objetivo é que a resposta imunitária desencadeada pelo processo de vacinação leve à produção de uma resposta adequada que elimine a bactéria», referiu.

Agora é preciso seguir até aos testes em pessoas para provar aquilo que até agora foi validado.

«O que nós queremos provar é que a imunização neutraliza na prática uma grande diversidade de estirpes. Portanto não há propriamente possibilidade de validar por completo a vacina em modelo animal. Neste momento estamos à procura de investimento para finalizar a otimização da construção em si, completar alguns estudos em animal em ambiente bastante definido para ser contemplado como teste pré-clínico para depois prosseguir para testes clínicos na prática», adiantou.

A bactéria alvo desta investigação é uma das grandes origens do cancro do estômago e outro tipo de doenças gástricas.

in TSF - 24/07/2012

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Aluno português vence medalha de ouro nas Olimpíadas da Matemática

Miguel Martins dos Santos, filho do tomarense Paulo Sarroeira, arrecada a segunda medalha de ouro nas Olimpíadas Internacionais de Matemática

Pela segunda vez consecutiva nas Olimpíadas Internacionais de Matemática, realizadas este ano na Argentina, Miguel Martins dos Santos, residente em Alcanena, conquistou uma medalha de ouro.
O jovem “crânio” de matemática é filho do tomarense Paulo Sarroeira, bancário que foi residir para Alcanena nos anos 80.

A comitiva portuguesa conquistou, além da medalha de ouro de Miguel, uma de prata, duas de bronze e uma menção honrosa.

Nas Olimpíadas realizadas no ano passado em Amesterdão, Holanda, Miguel, também conquistou uma medalha de ouro, facto que aconteceu pela primeira com um português.
O jovem frequenta o 11º ano e já em competições anteriores tinha conquistado prémios: uma Menção Honrosa nas olimpíadas mundiais em 2010 e a medalha de ouro nas olimpíadas portuguesas.

in Jornal O Templário - 15/07/2012

terça-feira, 10 de julho de 2012

Designer (português) cria código para daltônicos

O objetivo é dar mais autonomia no transporte público, nos estabelecimentos de saúde e na hora de escolher a roupa.

Você já imaginou como seria sua vida se você fosse daltônico? Parar no sinal vermelho (“é o de cima, né?”), pegar a linha verde do metrô (“verde era mesmo a linha da Sé?”), presentear um amigo que odeia o Flamengo (“aí meu Deus, será que essa camiseta não é vermelha?”). O designer português Miguel Neiva pensou em uma maneira de resolver todos esses problemas e criou um código para daltônicos, o ColorAdd. Confira entrevista com ele.

Como você teve a ideia do projeto?
Surgiu com a minha tese de dissertação de mestrado em design e marketing na Universidade de Minho – inicialmente direcionado para a indústria têxtil. Durante minha pesquisa, conclui que nada está sendo feito para diminuir os constrangimentos do daltônico. E a marca ColorAdd apareceu quando decidi levar este projeto de inclusão mais longe do que uma simples tese. Depois de garantir a proteção da marca, me rodiei de uma equipe multidisciplinar capaz de implementar um projeto “diferente”, “Made in Portugal”. Foi um enorme e motivador desafio

Editora Globo
Em que consiste o projeto? Qual é seu objetivo?
Essencialmente este é um projeto de inclusão. Ele consiste na criação de um código gráfico que permite aos daltônicos identificarem as cores. O objetivo é dotar o daltônico - cerca de 10% da população masculina mundial - de uma ferramenta capaz de, sem a dependência de terceiros nem o desconforto da insegurança, identificar as cores, sempre que ela for um fator determinante na tomada de decisão.
Onde você imagina que o ColorAdd será aplicado?
Desenvolvi um estudo com daltônicos, com resultados extremamente elucidativos quanto a “necessidade” desta ferramenta. 90% do daltônicos necessita de ajuda para comprar roupa, mais de 40% já sentiu dificuldade na integração social, quase 50% sentiu o embaraço da roupa escolhida não ser a melhor. Mesmo tendo nome, pelo menos 50% dos utilizadores dos “metrôs” usam a cor como fator de identificação. Nos hospitais, não só a orientação dentro dos edifícios hospitalares, mas também a triagem nas urgências é feita exclusivamente pela cor. Dá para imaginar o desconforto psicológico que será a errada interpretação das cores.
A aplicação deste código é transversal a todas as áreas sociais e econômicas - desde os transportes, a saúde, a educação, passando pela indústria têxtil, de tintas e muitas outras. No entanto, para esse projeto que se pretende global e de inclusão social, consideramos que as áreas de saúde e educação são as principais.

Quais são os planos para implantar o projeto?
O lançamento do sistema ColorAdd no mercado iniciou-se em Dezembro de 2009 e temos já uma parceria com uma importante empresa de tintas no mercado espanhol e português. Estamos também em fase adiantada de negociações para aplicar o código em duas empresas multinacionais de grande relevo na área de transportes e vestuário. Como temos a ideia de internacionalizar o código, estamos disponíveis para estabelecer parcerias com empresas que tenham experiência relevante nos mercados locais, como por exemplo o do Brasil. Considero o Brasil como uma forte possibilidade de impulsionar este projeto à dimensão global, não só pelo tamanho da população do país, mas principalmente pelo interesse por projetos de inclusão demonstrado por vários contatos que tenho recebido.

Qual seu mercado-alvo?
O mercado do ColorAdd é muito vasto, abrange todas as empresas/organizações que utilizam a cor para comunicar características dos seus produtos ou prestar informações em qualquer parte do mundo. A aplicação do sistema ColorAdd é transversal a todos os quadrantes da sociedade global, independentemente da sua localização geográfica, cultura, língua, religião, bem como às diferentes vertentes socioeconômicas.

Você tem mais projetos em vista?
Quando se está no design com paixão (como em qualquer outra atividade) quando terminamos um projeto já estamos pensando em muitos outros. Mas neste momento meu grande desafio é conseguir implementar esse projeto no mundo todo.

in Revista Galileu (Brasil)

Página Oficial: http://www.coloradd.net/index.asp

Mais uma 'scooter' elétrica portuguesa

Depois da motorizada elétrica que está a ser desenvolvida pela Universidade de Engenharia do Porto, acaba de se apresentado, esta terça-feira, o protótipo de mais uma 'scooter' elétrica 100 por cento portuguesa e ecológica, com zero de emissões locais de CO2, desta vez criada pela Universidade de Coimbra.
Com autonomia, em ciclo urbano, entre os 100 e os 140km, o que distingue este novo veículo - desenvolvido pelo Instituto de Sistemas e Robótica (ISR) da Universidade de Coimbra (UC) - dos que já existem no mercado é o conjunto de tecnologia de ponta usada no protótipo.
A 'scooter' é composta por um sistema de propulsão inovador (o coração do veículo), um controlador - que funciona como cérebro -, um motor elétrico, um sistema de armazenamento de energia com duas componentes essenciais: baterias e BMS (battery management system) e um carregador inteligente.

"Estamos a entrar numa nova cultura de mobilidade urbana, em que as duas rodas começam a ter mais eficiência, menos desperdícios energéticos e económicos. As grandes cidades europeias estão precisamente a apostar na promoção do uso dos veículos elétricos de duas rodas", afirma a líder do projeto, Ana Vaz.

Se a indústria mostrar interesse na comercialização deste novo veículo que dispõe de três estilos de condução – Eco, Sport e Safety - e onde toda a informação é feita em sistema wireless, uma versão final estará pronta a entrar no mercado dentro de alguns meses.

Famel Eletron foi a primeira 'scooter' elétrica nacional
Esta será, assim, a terceira 'scooter' com selo português a surgir no mercado, depois da Scootzz (que será oficialmente apresentada este Verão) e da Famel Electron, a primeira motorizada elétrica nacional lançada em 1997 pela mítica Fábrica de Produtos Metálicos, que tinha uma potência de 800 volts e estava munida com três baterias de gel.

Um dos fatores que terá levado ao fracasso deste modelo elétrico da Famel terá sido o facto do Estado Português não ter legislado estes veículos que não chegaram a ser comercializados no nosso país, embora tenham seguido cerca de 500 exemplares para França, segundo informação divulgada em vários sites especializados. Numa empresa já fragilizada pela concorrência das fábricas europeias, este último fracasso acabou por ditar a falência da fábrica em 2002.

in Boasnoticias - 10/07/2012

Seringa a laser sem agulha é portuguesa e deve chegar ao mercado em 2013

Uma seringa a laser, sem agulha, está a ser desenvolvida em Coimbra e deverá chegar ao mercado dentro de um ano, anunciou hoje Carlos Serpa, um dos investigadores envolvidos.
O Laserleap (seringa a laser) é um sistema em nada semelhante às tradicionais seringas com agulha, mas que, tal como estas, permite fazer chegar o medicamento ao destino pretendido, só que sem picada e recorrendo a laser.

O protótipo da “seringa” foi hoje apresentado na Universidade de Coimbra (UC), onde o projeto nasceu, em 2008, por um grupo de três investigadores do Departamento de Química, que inclui também Luís Arnaut e Gonçalo Sá.

Através do laser, é criada uma onda de pressão que, ao chegar à pele, gera uma “espécie de tremor de terra”, deixando-a "durante alguns segundos permeável”, o que facilita a aplicação do fármaco, administrado em creme ou gel, explicou Carlos Serpa.

O fármaco “surte efeito mais rapidamente, nomeadamente no caso dos analgésicos tópicos”, acrescentou.
Aplicações no tratamento do cancro da pele e de determinadas doenças dermatológicas, administração de vacinas ou aplicações em cosmética são algumas das utilizações da tecnologia Laserleap.

Testado em três dezenas de estudantes do Departamento de Química, o sistema “não provoca dor nem vermelhidão, de uma maneira geral - “apenas cinco por cento dos casos, mas passa rapidamente” – e é considerado “seguro para os humanos”.

Vencedor da primeira edição do prémio RedEmprendia (2010), no valor de 200 mil euros, o Laserleap, levou já à criação de uma empresa - LaserLeap Tecnologies, em setembro de 2011, e atualmente incubada no Instituto Pedro Nunes – e a um pedido de patente internacional, em abril de 2011.

Ainda recentemente, o projeto venceu o desafio internacional lançado no Photonics West 2012, um dos maiores encontros científicos do mundo na área da fotónica.

A RedEmprendia é uma associação criada com apoio do Grupo Santander e orientada para o empreendedorismo, que congrega 20 universidades ibero-americanas - em Portugal, as Universidades de Coimbra e do Porto.

Durante a apresentação do protótipo, o presidente da RedEmpreendia, Senen Barro, classificou o projeto português de “excecional”, referindo que, na “corrida” ao prémio, estiveram outros também “bastante bons”.
“A qualidade de vida de muitas pessoas pode mudar radicalmente” com a nova seringa, considerou.
O diretor da divisão do Santander Universidades para Portugal, Marcos Ribeiro, afirmou, por sua vez, que “o país precisa agora, mais do que nunca, que as universidades prossigam o motor de desenvolvimento” que representam para o “crescimento sustentável das sociedades”.

Depois de salientar a importância da RedEmpreende no desenvolvimento dos projetos de investigação, o reitor da UC, João Gabriel Silva, manifestou-se preocupado com a “diminuição global dos montantes disponíveis para os projetos de investigação”, através da Fundação para a Ciência e Tecnologia.
“Se estas restrições se mantiverem, é obvio que muito do percurso positivo que Portugal tem feito nos últimos 10, 15 anos vai ser posto em causa, o que é preocupante e não é compatível com as afirmações que se fazem de que as universidades são decisivas para o desenvolvimento do país”, sustentou.

in ionline